quarta-feira, 2 de julho de 2008

E eu que era super!


Guimarães, 2008

Este poema triste...
É um poema que existe!

Tantas vezes que acontece,
Nas coisas e nas gentes...

Por isso, há quem padece!

1 comentário:

Fernando Bagnola disse...

Este pode ser um poema alegre ...
Dada a ótica que se segue!
Tantas formas e tantas quebras,
Em lábios ou pancadas ...

Por isso, há quem recicle!