sábado, 22 de janeiro de 2011

Silêncio

  Famalicão (Casa das Artes), 2011

Em silêncio…

Até que dedos, mãos, braços e corpo inteiro
Me vibrem até à alma

1 comentário:

NELL SANTOS disse...

Quão profundo silêncio! Quando fizer vibrar a alma é porque atingiu o ponto certo para um poeta derramar ser ser...
Muito bonito. Gostei!Vou te adicionar. Se quiser fazer-me uma visitinha...
http://nellsantos.blogspot.com/

Abraço!